terça-feira, 19 de janeiro de 2010

No flash, please.


Há muito tempo eu tinha um imenso desejo de ir ao São Paulo Fashion Week.
Achava que seria o máximo ver aquele movimento todo, conseguir assistir aos desfiles e saber tudo das tendências da próxima estação. E se sentir muito fina porque pôde conviver com a nata da sociedade paulistana e porque compartilha com ela o mesmo código de vida chique e descolado.
Mas desde a semana passada eu já nem quero mais.
Depois de passar rapidamente do Shopping Iguatemi no último sábado eu fiquei meio enojada de todo esse mundo glamoroso das marcas e do consumo extremo.
Eu já tinha ido ao Iguatemi algumas vezes, mas sempre durante a semana, quando o lugar já intimida, mas não tanto quanto aos finais de semana, em que todo mundo se monta com roupas super caras, veste a máscara da high society e vai fazer pose pros outros membros do seleto clube que pode se dar ao luxo de comprar alface no, até há pouco tempo*, mais luxuoso shopping de São Paulo.

É muita afetação pro meu gosto. Os movimentos são ensaiados e a maquiagem carregadíssima às 3 as tarde. Enquanto passávamos pela vitrine do Louboutin, uma amiga perguntou: Quanto será que custam esses sapatos? Mil e quinhentos? Mas não. Custava R$11150,00, tá?
Olha, eu adoro momentos mulherzinha, adoro fazer compra e adoraria ter muito mais dinheiro (e quem não gosta de voltar pra casa com sacolas recheadas de roupas novas?!), mas daí a passar todo o meu tempo livre desfilando minha riqueza e acabando com parte dela no shopping pra mostrar pros meus coleguinhas de classe social que eu realmente faço parte da galhera é demais pra mim.
Sinceramente, não quero fazer parte dessa galera nem a pau. E quando tiver meus filhotes não vou deixá-los a mercê das babás belamente uniformizadas 24 horas por dia. As crianças nem devem conhecer a mãe. Cruzes.
Então eu notei que, se eu fosse no SPFW eu possivelmente teria um sentimento muito parecido: Não me sentiria confortável por não pertencer inteiramente àquele universo e não ia achar muita graça em todo o frenesi que é gerado em torno do consumo (nada consciente) dos itens trendy criados pela e para a nata dos fashionistas... o crème de la crème do modus vivendi e operandi dessa grande cidade comedora de criancinhas.
É muito bacana acompanhar a cobertura dos eventos de moda em sites como o Lilian Pacce (super completo e com uma ferramenta ótima pra visualizar os looks de pertinho), o Julia Petit e o Oficina de Estilo, mas também é ótimo ter em mente que além de saber das tendências e dos próximos movimentos que a moda vai traçar pelas ruas, é essencial não se afetar e achar que a gente só vai ter vida se tiver aquele colete fantástico, aquela bota absurda ou o moletom caríssimo da marca tal.
A minha vida tem mais espaço e alegria em pequenos momentos mais legítimos e autênticos que desfiles de qualquer espécie.

*Agora o shopping mais luxuoso de SP é o Cidade Jardim (que não passo nem perto!).
As imagens são daqui.

6 comentários:

c r i s disse...

Ai Bel, que roubada!! Infelizmente São Paulo tem dessas também, melhor a gente ficar num clima tipo só-estou-curtindo nestes lugares e saber que tem muito mais a preencher a vida... mais fala Bel, pelo menos o sapato era de matar ou mais ou menos? Bjo!!!rsrsrsrsr...

Bel Lüscher disse...

Ei Cris!
Pois é... eu to preferindo ficar só olhando de longe, e gastando meu $$ bem gasto nas liquidações!
E ó... o sapato era muito escandaloso... daquele tipo que a gente NUNCA teria ocasião pra usar, sabe? tipo cravejado no diamante... uma loucura! rs
bjo, flor!

CamilaC disse...

Oi, Bel!
Então.. há algum tempo eu fui a um SPFW e nem é tão assim. Claro que existe esse cenário, com certeza, mas também tem tanta gente com cara de acabada, chinelo, garrafinha de água na mão e cabelo bagunçado de tanto trabalhar, que a gente até se sente à vontade. São os nossos amigos jornalistas, fotógrafos, cinegrafistas... Gente como a gente, sabe assim?

c r i s disse...

Oi Bel, valeu passar lá pelo bloguito...também tenho o mesmo problema com os pegadores, acho que por isso resolvi fazer os meus...kikikikik...

Ainda não achei a cara do bloguito, acho que ele vai ficar sempre mudando conforme a dona...rsrsrs...bjo!

Anônimo disse...

Ô querida!!!! talvez esteja no lugar errado. São Paulo tem, além de gente fina, educada, culta, tem também esse povão que vem de fora emporcalhar nossa bela cidade. Será que você não está mais para o Shopping Cidade (BH) ou outro popular da sua capital, não? Babás? vejo tanto em BH, carregando filho daquele tipo de gente recém promovida da fáááázenda para a capitar. Tenho tanta pena daquelas babás que ficam lá, sentadinhas com as crias das sinhazinhas, esperando enquanto elas almoçam e enchem o bucho de cerveja. ô lugar onde a mulherada bebe. Cruzes
Volta pra roça, ô fia!!!

Bel Lüscher disse...

Por causa desse tipo de mentalidade é que acontecem as guerras. tsc.

Related Posts with Thumbnails